22/03/2012

Amor Fati

Durante a leitura de Ecce Homo, pude entender melhor o conceito de Amor Fati em Nietzsche


"Não querer nada de diferente do que é, nem no futuro, nem no passado, nem por toda a eternidade. Não só suportar o que é necessário, e menos ainda dissimulá-lo (…), mas amá-lo…"


Exatamente esse é o sentimento que a visão da realidade  traz, quando consigo sentir o outro na sua verdade, mesmo que ela não seja a mais desejada , a mais esteticamente bela, nem mesmo próxima a minha verdade. 


O simples fato de reconhecer a diferença ,as formas e as substâncias que compõe  universo singular do outro, sua força e acima de tudo sua  singularidade e fragilidade, tudo isso me faz amar o que nele posso capturar ,mesmo que meus olhos e minha mente o contestem de forma cética e neutra,não ha como escapar dessa  incrível  capacidade de transbordar vida que cada ser possui em seu intimo.


2 comentários:

  1. Nietzssche põe todo mundo louco quando nos faz descortinar o que sempre deveríamos ter entendido desde o primeiro contato, mas insistimos em negar. A primeira vez que li Ecce Homo sofri muito e tinha longos discursos acirradas com ele que tentava me mostrar coisas óbvias porém crués demais para serem aceitas...
    Menina encontrei o teu blog e quase não saio daqui de tanto que li. Tenho que vir sempre.
    UM beijo e linda semana.

    ResponderExcluir
  2. Dea minha Vampirinha preferida, concordo com você, Nietz faz agente cair no coisa em si sem o menor pudor ,muito sangue verte dali.Obrigada por sua companhia, inteligente e perspicaz, vou passear pelo seu blog também. bjs

    ResponderExcluir